RV Ímola investe R$ 18 milhões em tecnologia em 2019 e cresce 10%

Acompanhando as tendências tecnológicas e para marcar sua entrada do universo 4.0, a RV Ímola fez investimentos na ordem dos R$ 18 milhões. Paralelo a isso, empresa especializada no transporte de medicamentos, registrou crescimento de 10% em números absolutos, atingindo uma receita líquida de R$ 140 milhões.

“Estamos extremamente satisfeitos com esses números, eles refletem o posicionamento estratégico da RV Ímola no mercado. Nossos investimentos só crescem e ver que o faturamento está acompanhando esse crescimento é um sintoma que estamos no caminho certo”. Roberto Vilela, presidente da RV Ímola.

Investimento

Segundo Vilela, na Central Logística de Inteligência Farmacêutica (CLIF) foram injetados R$ 3,7 milhões, sendo R$ 2,5 milhões somente neste ano.


“O CIF, aplicativo desenvolvido dentro da nossa empresa, se tornou um grande ERP (planejador de recursos) da saúde”, completou o presidente. 

Acompanhar a Indústria 4.0

Todos os investimentos e esforços da empresa são para acompanhar o conceito de Indústria 4.0. Afinal, segundo a Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), a  expectativa é que, em dez anos, 15% das indústrias atuem no conceito da indústria 4.0, que se dá principalmente pela digitalização e robotização. Hoje, menos de 2% das empresas estão inseridas nesse conceito.
Acima de tudo, o conceito da Indústria 4.0 refere-se a otimização da cadeia de valor ao longo do ciclo de vida útil de um produto, mediante a aplicação da digitalização e da ligação em rede.

O ponto culminante desse desenvolvimento é o produto integrado. Ou seja, ele incorpora conhecimento, comunicação com as máquinas, ferramentas e pessoas.

A logística também será 4.0

No segmento de logística, o “4.0” também passa pela tecnologia, mas pega carona na capacitação e no treinamento dos profissionais, já que todo o maquinário empregado requer e exige conhecimento especializado.

Powered by Rock Convert

“A Logística 4.0 é um conceito que mistura novas tecnologias, como drones, big data, Internet das Coisas (IOT), realidade aumentada e as boas práticas de gestão. No entanto, precisamos, sempre, focarmos em quem está na ponta, o paciente”, finaliza Vilela.

Fonte: Revista Mundo Logístico

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.